Menu

gaia host
Home Quem SOmos Anuncie Contatos

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Uma bolha chamada Internet


por Marcel Albuquerque

Trolls, ownadas, memes, blábláblá. A Internet, hoje, se resume a não muito mais que isso. E na nossa empreitada de reconstruir os laços do CR e ocupar espaço na blogosfera temos encontrado dificuldade exatamente por sermos uma oposição ao embabacamento. Se prepara, leitor, esse post é um desabafo.

Não vou pagar de pseudo-intelectual ou velho ranzinza: gosto de rir, acompanho alguns web hits e reconheço que há blogs de humor que mandam muito bem – desde tirinhas do Um Sábado Qualquer ao humor de realidade do Kibeloco. Como o mundo virtual é quase democrático, todos que aqui estão tem acesso à informação (como receptor e emissor) de maneira nunca antes vista, daí é natural o surgimento de modinhas e linguagem específica. Só que é nesse miolo que moram dois problemas: o “em-si-mesmamento” e a banalização da comunicação.

A banalização das informações vem de um paradoxo análogo àquele do biscoito Tostines: poucos produzem algo sério na Internet porque o público não consome isso ou o público consome pouca seriedade na Internet porque pouca coisa do tipo é produzida? Além do mais, a efemeridade impera, não se pode aprofundar um assunto. O fluxo por aqui é tão grande que o “ainda agora” já são outros tempos. Um meme da semana passada já é “old”.

O outro problema que citei, ainda mais importante, é o fato da Internet viver numa redoma. Inclusive, ouso dizer que esse é um dos fatores que provocam a futilidade cibernética. Ok, é verdade que todo círculo social tem suas especificidades, mas por aqui isso tem um peso complicado. Na internet somos apenas simulacros (quase fakes) de nós mesmos, selecionamos o que queremos mostrar d'um jeito inviável na vida real. As fotos são as melhores, não existe a necessidade do “bate-pronto” nas respostas e o deus Google t'aí pra qualquer eventual necessidade de salvamento. A consequência disso é a produção em massa de valentões com um teclado na mão, criados pela vó, nerds distanciados do mundo real. Não sabem o que falar pr'uma garota se tiverem que ultrapassar os 140 caracteres. Pior que isso é não se tocarem que, fora dessa bolha, ninguém tem a vaga ideia de quem sejam. De nada adianta inteligência e criatividade se servem apenas como um entorpecente social. É bom se divertir, é imprescindível ir além. E olha que exemplos de comédia com engajamento e/ou acidez não faltam.

Esse não é um post frustrado com as barreiras até então colocadas a nós. É, antes de mais nada, uma promessa: sempre teremos tons sarcásticos, irônicos e até de humor “puro”, mas jamais perderemos a capacidade reflexiva. Ao contrário, este texto é um ode à possibilidade da crítica se proliferar na Internet, convite aos que se inquietam com a hegemonia da irreverência. Um clamor para que se tenha responsabilidade com o que se produz. Porque o significado é público e tem efeitos no mundo real.

Por isso tudo, o blog Controle Remoto sempre estará em conflito com a parcela emburrecedora da Internet, sexualizadora de cada detalhe, que nada leva à sério. Afinal, como diria o poeta, rir de tudo é desespero.

54 comentários:

  1. João do Japaleño13 de janeiro de 2011 01:02

    PORQUE VOCÊ ODEIA BANANAS?

    ResponderExcluir
  2. o @felipeneto vai me indicar e vou ficar mais famoso que BBB11

    ResponderExcluir
  3. msmo cm preguiça de ler tdo .. otimo post !*--*

    ResponderExcluir
  4. Parabéns, ótimo post CR.

    ResponderExcluir
  5. Acho muito válido todo o texto e a reflexão provocada por ele. Sem mais.

    ResponderExcluir
  6. João: Eu não gosto, mas você tem todo direito de se deliciar com elas.

    Leandro: Porra, cara! Descobriu minha tática pra entrar no BBB 38. Oh, shit!

    ResponderExcluir
  7. Gostei do texto, falou muito...
    Mas, a Internet de hoje em dia, nada mais é que um Grande Caos...

    ResponderExcluir
  8. estamos nos tornando seres parasitas,dependendo da genialidade de todos aqueles que se esforçam pra da continuidade a essa grande rede social.

    ResponderExcluir
  9. Ainda bem que ainda existem pessoas com senso crítico o bastante para fazer um texto desse porte, tão bem escrito. Parabéns pela ótima reflexão.

    ResponderExcluir
  10. "Thais disse...
    msmo cm preguiça de ler tdo .. otimo post !*--*"


    Olha ai um belo exemplo da população internetês.

    ResponderExcluir
  11. Quero lhe dizer que concordo com você. É muito fácil eu me expressar como anônimo, visto o que faço agora, e me perder nisso tudo porque pouco me importa o que dizem já que estou protegido aqui dentro.
    Nos tornamos fingidores de nós mesmo, o que você chamou de quase fakes de nos mesmos. E por ser mais tempo aquilo que fingimos do que aquilo que somos, que nos esquecemos de ser o que somos. Criando assim a bolha que você também menciona.
    +

    ResponderExcluir
  12. Gostei muito do texto, e concordo com boa parte (é dificil eu concordar 100% com qualquer coisa). Mas se deve ressaltar que hoje em dia qualquer pessoa (adolescente na verdade) passa entre 2 e 4 horas no minimo na internet, o que nao quer dizer que ele nao tem uma verdadeira vida. A vida social e a virtual nao sao excludentes, é possivel sim ter as duas. Mas com certeza quem a tem nao é o "nerd-valentão" acho que o começo para te-la é ser você, tanto no real tanto no virtual

    ResponderExcluir
  13. detecto várias linhas filosóficas aí nesse post.

    no fim, todos acolheremos o ciberespaço como realidade e passaremos a viver em um tipo de matrix (do neuromancer, não do filme). avatares substituirão o aperto de mão, talvez.

    concordo em muita coisa, mas tenho uma visão mais pessimista. espero estar errada.

    vou passar aqui mais vezes. ;)

    ResponderExcluir
  14. Concordo plenamente.
    Acho que temos que ver sempre os dois lados, assim, não se alienando.
    Radicalizar nunca nos levou à nada de muito bom, tem que existir equilíbrio.

    Ótimo post, melhor ainda se conseguir mudar a cabecinha de algumas pessoas.

    ResponderExcluir
  15. Claro que você está dizendo mais sobre aqueles que passam a vida na internet, pois há os que a usam para o trabalho e outras coisas, mas não vem ao caso. Gostei do post!

    ResponderExcluir
  16. +(acabei me perdendo um pouco) mas enfim, por todos terem acesso a tudo, inclusive terem acesso para disseminar informação que a internet se tornou sinônimo de futilidade, de burrice ou de desconfiança.
    A internet dá a "ferramenta do conhecimento", assim por dizer, a quem não sabe usa-la ou que a usa de má fé e com ignorância.
    Longe de falar que isso é para poucos, mas que muitos não sabem como faze-lo.
    (Obrigado pela reflexão, foi ótima. e desculpe ser chato, mas 'ode' é um substantivo feminino)

    ResponderExcluir
  17. Muito bom o texto, parabéns. Realmente a internet se transformou num tipo de monstro, e já estamos em certa altura que é impossível acabar com ele ou frear seu crescimento. O que nos resta fazer é adaptar-nos, porém, sem nos deixar levar pelos seus piores podres.

    Eu tenho um blog onde comento sobre assuntos diversos, sempre procurando colocar um toque crítico e humorístico (aliás, essas duas coisas podem sim andar lado-a-lado). O nome é Desnecessário, e o link é http://desnecessarioblog.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  18. Tomara que seu objetivo de despertar mais críticos desse tipo na Internet seja alcançado, pois as poucas coisas que vejo consideradas populares tem como assunto principal a banalidade

    ResponderExcluir
  19. Talvez se esse meio de comunicação, digamos espetacular, fosse utilizado por todos com o mínimo de inteligência e de uma maneira que pudesse colaborar com a mudança de mentes e de postura, um amultuado de 140 caracteres poderia mudar o rumo desse país que tanto precisa né? Parabéns pelo texto, é a mais pura verdade.

    ResponderExcluir
  20. A gente vive nessa bolha chamada internet, porque o mundo lá fora é cruel demis pra nós.

    ResponderExcluir
  21. O que está em falta mesmo é as pessoas pensarem... e não só em si. Mas pensarem... reflexivamente, racionalmente, com conteúdo e criticidade e terem consciência de que o mundo não gira em torno de seus egos. Por mais que na internet demonstremos simulacros de nós mesmos ou uma personalidade flexível a ocasião que não é a que de fato se possui e sim a que se queria possuir, mas aí é que está é a que se queria ter. Então de alguma forma as tem só não as expõem, ao menos na realidade. Pois bem os fodões da web ou os xenófobos, racistas, narcísicos e intolerantes, os que agridem violentamente por palavras qualquer que seja a pessoa ou grupos específicos só o fazem porque de fato gostariam que a sim acontecesse e porque assim pensam. Os que entram em correntes desse tipo só por modinha são ainda piores porque mataram seus cérebros e nos faz sentir que hoje vemos uma juventude absurda e alienada que adere a correntes, modas, 15 minutos de fama, mesmo que para isso professem palavras extremamente violentas, sem nenhum escrúpulo e nenhum argumento por não enxergarem mais que a si mesmos, por não entenderem que existe o outro na diferença e ele deve ser respeitado ou criticado quando de fato haja o que deva ser criticado sem se eximir da consciência moral e ética. Deixo um link para quem se interesse em pensar mais um pouquinho http://oblogdochico.blogspot.com/2011/01/jovens-e-fascismo-uma-combinacao.html

    ResponderExcluir
  22. Quem gosta de humor gosta de rir e ri pq é engraçado e não pq alguém diz que tem que rir disso ou daquilo. Memes e afins sempre existiram. Mas agora tem nome. E um Sábado Qualquer citado como exemplo de blog de humor só mostra que de internet não entende bulhufas... E a internet existe pra isso. Pra ter o que fazer. Pra distrair. Pra isso pagamos Speedy, Nets e afins. Quer conteúdo? Vá ler um livro. É a mesma coisa que pedir uma boa história na novela das oito.

    ResponderExcluir
  23. Monkey, eu não fiz uma cartilha das razões que devem conduzir ao riso. Apenas critico o bizarro domínio do humor na internet, ainda mais quando não se trata daquilo que não é inteligente - seja por um jogo de palavras, seja por uma criação mais complexa. E, sim, o Um Sábado Qualquer tem MIL tirinhas cômicas, só que refinadas.

    E, olha, distrair não é se alienar. Claro que não vou ao Maracanã pra pensar na realiedade social, mas não fico cego lá dentro. O que quero dizer é que não é da natureza da Internet ser uma grande gargalhada. Ela é mais um construto.

    Agora, se você não vê nenhum conteúdo por aqui e acha que os livros são a unívoca solução: que pena, sinal de que ainda não sabe ler o que está nas entrelinhas.

    Evolua, Monkey!

    ResponderExcluir
  24. A internet é um ótimo meio de comunicação, mas nos dá uma falsa impressão de aproximação, as pessoas acham que a internet as aproximam das outras, mas na verdade as distanciam, por isso muitas vezes pessoas deixam de viver a vida real pra viver a vida da internet, só que isso valoriza os amigos fictícios e afasta os amigos reais.

    ResponderExcluir
  25. um texto como esse num blog já é a prova de que existe conteúdo na internet.
    admito, passo mais tempo no computador do que deveria, mas nao deixo de viver por isso, de jeito nenhum.
    essa liberdade que a internet nos dá, essa "banalizaçao da comunicaçao" é que fez com que a isso tudo perdesse o limite. ainda sou da opinião que deveríamos fazer um teste de QI para ter acesso livre à internet.
    bom texto, mais uma vez!

    ResponderExcluir
  26. as pessoas estão a cada dia com menos tempo e paciência concerteza daí surgiram essas linguagens ... a realidade você trabalha , sofre , ve nos jornais os problemas ... as vezes é bom fugir um pouco da realidade e pensarmos mais no nosso bem estar !

    ResponderExcluir
  27. Eu acho que quem quer conteúdo procura onde tem.

    Eu procuro tudo o que me interessa em sites especializados, portanto não tenho essa frustração do humor estar estragando tudo.

    ResponderExcluir
  28. O excesso de informação sem devida organização é inclinada a entropia. Cada um cria sua própria biblioteca mental, e faz uso dela como bem entender.

    ResponderExcluir
  29. Concordo plenamente com sua visão, post ótimo pena que nem todos lêem ou dão devida ênfase as coisas realmente importantes que a internet propõe.

    ResponderExcluir
  30. O que chamam de internet é um "local" onde todos têm acesso a ler e escrever. Falar de todos é falar de massa, e o que chamam de massa sempre foi assim com a informação, pouco compromisso com o que se passa e recebe. Para que toda a informação seja "de qualidade" teria que existir uma massa intelectualizada, o que nunca existiu.
    Daí a comparação da internet com os livros ser batida, mas considerando que na época em que a internet não existia, ou ainda não era massificada, só passava informações (ou seja, escreviam livros) quem tinha um mínimo de formação acadêmica, suficiente para escrever corretamente e agradar as editoras, as quais não publicavam qualquer coisa.
    Na atualidade, com a internet "para todos", qualquer um escreve o que quiser da forma que quiser, não existindo a peneira que existiu para lançar informações como existia com os livros (peneira que, diga-se de passagem, hoje parece ter sumido até para os livros).
    Mas isso é ruim? Acredito que não. Desta forma, aqueles que não tinham condições de expor suas idéias hoje têm, pois muitos tinham a barreira da peneira, onde toda peneira é uma forma de censura. Hoje mais pessoas podem expor suas idéias e mais pessoas podem ter acesso à informação, só que convivendo com a conseqüência de ter um número maior de informações erradas ou inúteis, mas acaba sendo como os livros, têm-se que aprender a reconhecer os bons autores.

    ResponderExcluir
  31. Não é por acaso que os jovens estão cada vez mais ignorantes, lembram quando as duas garotas autralianas ficaram perdidas e usaram o celular para acessar o facebook e pedir socorro por lá ao invés de ligar para a emergência ? Não só isso mas o mal do 'nadismo' no mundo virtual é assustador, montanhas de mega bytes são criados com puro lixo virtual, tratando muito do 'eu-mundo'.. o ego é assolador. Também sou adepto a alguns blog's de humor e tudo mais, mas é muito dificil separar o joio do trigo. Tempos atrás conversava eu com o administrador de uma grande multi-nacional pelo linkedin e discutiamos as várias faces da internet, ele já me falava da dificuldade de recrutar jovens talentos que hoje estão ficando cada vez mais escassos. bom.. deixa eu parar por aqui se não fica longo de mais o texto.

    ResponderExcluir
  32. Marcel, concordo com o Henrique Thomazi... Quem quer conteúdo procura onde tem.
    PROCURA. Não se pode empurrar as coisas assim e esperar que sejam simplesmente aceitas. Bizarro dominio do humor?? É isso que as pessoas querem!! Elas querem rir e querem cada vez mais coisas novas querem um escape. E por que não? Isso é saudável cara.... Viver disso que não é saudável. O que elas querem é poder dizer o que pensam tbm! Sem se preocupar com represalias! ( Trollagem ) Pedir pra uma pessoa que vc nem conhece evoluir mostra um ato de desespero pois vc tbm não sabe ler as entrelinhas.

    ResponderExcluir
  33. "sempre teremos tons sarcásticos, irônicos e até de humor “puro”, mas jamais perderemos a capacidade reflexiva"
    Perfeito!!
    Eu tenho um pouco daquilo que vc falou. De certa forma estou um pouco na parcela sexualizadora de cada detalhe, que nada leva à sério. Mas eu sempre fui assim. Mas também me preocupo com a reflexão e é por isso que adoro esse blog, que está salvo nos meus favoritos..

    É totalmente verdade e incontestável o fato de sermos quase fakes de nós mesmos. Tento evitar isso, pois nunca tive vergonha de quem sou. Mas ás vezes não da para não apagar aquela foto que ficou mais feia, ou aquele texto que tinha palavrão demais... E as pessoas parecem diferentes quando estão protegidas pela tela do computador. A internet tem esse grande paradoxo. Ela aproximam quem está longe, mas afasta quem está perto.
    É mesmo uma bolha em que nós mesmos nos aprisionamos.
    Mais um texto genial de Marcel Albuquerque...

    ResponderExcluir
  34. Não li ontem à noite porque pensei: Lá vem mimimi!

    Na mesma hora percebi que, por mais mimimi q'eu pudesse pensar ser, estaria certo. E bom, a última coisa que queria na madrugada passada era admitir como o texto estaria correto em suas afirmações.

    Uma grande prova disso que foi dito são os parceiros desse blog mesmo, por exemplo. São na sua maioria de humor, ou de links para o indivíduo queimar seu tempo no ócio de conteúdo irrelevante. Outro dia mesmo me peguei lendo curiosidades inúteis do estilo "O quack do pato não produz eco", e perdi pelo menos meia hora com essa brincadeira.

    E prá finalizar, só quero deixar meu apoio ao site e tentarei participar de maneira mais ativa como há algum tempo, sem as tais máscaras citadas também. Aguardo o retorno do fórum inclusive ;)

    Desculpe qualquer frase incompreensível, estou insone até agora... =P

    ResponderExcluir
  35. "Thais disse...
    msmo cm preguiça de ler tdo .. otimo post !*--*"


    Essa daí não leu nem meia linha do texto... rs

    Excelente o ponto de vista. Mas é isso aí mesmo, valentões por trás do teclado. E tem mais: isso não vai mudar! (calma, não caia da cadeira!)

    Mas quanto a necessidade de conteúdo inteligente, é só procurar que tem. E isso não é só na internet. É em qualquer produção que envolve o ser humano. Literatura? Tem muita porcaria, MAS MUITA! Mas também tem coisa MUITO boa. Em menor número. Cinema, idem. Música, idem. Não tem jeito cara...

    Mas, tamos aí. :)

    ResponderExcluir
  36. O domínio do humor não é exclusivo na internet, observo que a maioria das pessoas preferem falar de coisas menos sérias, ou absolutamente idiotas, a centrar em coisas necessárias ou que as façam pensar. Buscam menos informação e cada vez mais os livros são esquecidos em armários empoeirados. Acomodadas e sem interesse e fugindo da realidede,elas simplesmente não importam, e digo mais, tentar incluir algumas conversas "cabeças" entre a rede de futilidades que falam e ter a certeza de ser a chata a "nerd"(entre outros), chama-los para alguma atividade que os incentive a sair do padrão de acomodação, e ter a certeza de ter ao lado, uma pessoa totalmente entediada e sonolenta.
    Ao meu ver o desinteresse por informação de qualidade na internet e apenas uma conseqüência, do mesmo no "dito" mundo real. E a internet funciona como a válvula de escape mais eficiente para se fugir da realidade,pois nela escolhemos a programação do que queremos ver. Não defendo que no mundo devemos apenas falar serio,seria muito chato, mas ignorar os problemas e rejeitar o adquirir conhecimento, também pode ser apontado como causa de muitas das mazelas sociais.
    Ainda bem que ainda existem resistência a essa tendência, continuem escrevendo os ótimos posts que sempre acompanho, que com certeza o numero de interessados em discussões interessantes apareceram.

    ResponderExcluir
  37. A Internet, assim como a leitura, são apenas ferramentas e o que as caracteriza são os usos que damos a estas. Podem ser utilizadas para puro entretenimento, distração e boas risadas sem conteúdo ou crítica alguma como também podem ser formas de se informar,conhecer culturas, refletir e crescer intelectualmente.

    O problema é que devido ao grande número de informações que recebemos sem esforço nenhum, perdemos o hábito de pensar, de procurar. A busca pelo conhecimento se tornou mais fácil, e então, nos tornamos preguiçosos.

    Interpretação e crítica não são mais tão treinados, tão desenvolvidos e por isso, quando nos deparamos com algum conteúdo, temos preguiça de pensar a respeito, ou até medo de refletir e perceber o quaanto nos tornamos fúteis. E ai mudamos pra um blog de humor, continuando alienados, mas alienados descolados e entretidos, olha que maravilha!

    Não que diversão seja dispensável, não é. Só não é a única coisa importante. É preciso algum conteúdo, é preciso um equilíbrio.

    ResponderExcluir
  38. Era pra internet ser uma coisa democrática, mas não é. É uma ferramenta midiática, e infelizmente, herda a mesma merda das outras mídias de massa que conhecemos muito bem.

    É preciso ter jogo de cintura e saber usar a ferramenta, ou ela se volta contra você e te faz viver num mundinho pequeno e de um jeito mesquinho, como a vida de alguns blogueiros ou blogueiras por aí.

    Entre a maioria das pessoas, não há troca real. Alguns blogueiros são tão iludidos com a fama que ganharam, que se acham no direito de humilhar e ofender quem quer que seja que se oponha às opiniões por ele(a) emitidas.

    Eu os comparo a apresentadores da Rede Globo, deslumbrados com a vida que levam, a própria riqueza... e com um vazio enorme na cabeça.

    Por outro lado, é pela Internet que conheço pessoas que enriquecem demais a minha vida, que me faz conhecer novas correntes de pensamento, que me aproxima de gente que jamais eu me aproximaria na vida real. Gosto muito de uma poeta, por exemplo, a Valéria Tarelho, desde meus 18 anos. Nunca pensei que fosse ter contato com ela. E o que o twitter fez? Fez com que ela também conhecesse as coisas que escrevo, e ela também gosta do que eu faço!

    Não é incrível essa aproximação? Eu acho incrível o caso de amor e de ódio que eu tenho com a Internet, com o bem-estar e o mal-estar que me trazem o facebook, orkut...

    Marcel, a equipe do Controle Remoto forma um blog da resistência. Não vamos nos vender só por causa de status e fama na blogosfera. Faço do seu desabafo, o meu desabafo também. E vamo que vamo. Por um mundo mais inteligente!

    Entre a maioria das pessoas, não há troca real. Alguns blogueiros são tão iludidos com a fama que ganharam, que se acham no direito de humilhar e ofender quem quer que seja que se oponha às opiniões por ele(a) emitidas.

    ResponderExcluir
  39. Só tenho a concordar e aplaudir. Li todos os comentários e pena que nem todos conseguiram ver mais de um ponto de vista nesse post.
    Esse post me fez lembrar da musica “feel good” do gorillaz.
    Mas tenho mais assunto para complementar… as pessoas na internet procuram se distanciar da realidade para aumentar seu ego, por que na sua realidade a vida e banal de mais e é impossível se sentir bem, de resultado as pessoas acabam por ficar agressivas na internet.
    Por que existem pessoas tão agressivas na internet? Por frustração de si próprio e por isso acabam por tentar inferiorizar outras pessoas tentando achar erros, xigar, banalizar, etc…; o ser humano faz isso naturalmente sem perceber ex: você tira nota baixa na escola e se sente triste por isso, mas quando você descobre que outra pessoa tirou nota menor você se sente melhor; outro exemplo é: na escola e comum que exista aqueles amigos que ficam tirando sarro de uma outra pessoa quase fixamente, e o tempo todo esses mesmos colegas ficam conversando sobre um “defeito” de um outro colega como um bom motivo de rir… esse colegas fazem isso por que se sentem superiores a o “portador” do “defeito”, e isso sim é uma tentativa de melhorar o seu ego. (isso é o mais puro bullying)
    Continuando… a tentativa de ser percebido na Net é enorme. Hoje nos vemos todos os tipos de pessoas que querem aparecer mas eu vou falar mais especificamente do “troll”, por que o troll xinga todos? Por que ele não dar valor a outra opinião? Alem do motivo acima, ele faz isso para provocar atenção e sentimentos nas outras pessoas, quando ele faz isso ele se sente melhor por que sabe que esta sendo ousado. A ousadia melhora o ego da pessoa por se sentir único e especial, quando ele recebe uma critica se sente óptimo por que sabe que esta criando impacto e não esta sendo ignorado, quando ele ignora uma critica ele sente melhor ainda por que sabe que não esta sendo afectado por isso e seu ego pode passar por cima das pessoas.
    Rir e desconsiderar alguma coisa logo Rir pode ser sentir maior do que alguma coisa. Rir é o “feel good” da sociedade no mundo actual da internet.
    Espero ter complementado um pouco mais a ideia, mas os créditos são todos seus.

    ResponderExcluir
  40. Monkey e Thomazi: É verdade que você pode procurar onde tem. Minha tristeza e indignação é o quanto o riso que não alude a algo, o riso que é mais orgânico, robótico e emburrecedor é o que vigora na Internet. Tenho plena ciência do quanto isso está fora dos bytes e confesso que adoro Humor. Apenas tratei de especificidades da Internet porque, se é um espaço mais democrático, deveria ser mais plural.

    E, ó, é importante ter válvulas de escape. Mas se estamos sempre escapando de algo, é sinal de que não queremos enfrentar a realidade. Viver disso é se pautar numa fantasia: daí o simulacro que falei da Internet.


    Obs.: Relaxa, cara. Quando falei "evolua", fiz uma piadinha com "monkey" e evolucionismo. De qualquer maneira, ainda que pela oposição, valeu por se dispor a comentar! ;)

    ResponderExcluir
  41. Marcel, pra vc ver ( e eu também ) como são as coisas: A tantos anos usando o o pseudonimo de Monkey que havia até esquecido o porque de usalo... Como vc disse sobre o Simulacro: Parece que já não sei distinguir se sou a personagem que criei ou o Looser sentado em frente ao Pc! Huahuhauhauha!!!! Mas a evolução não para. Mesmo que aconteça lentamente.

    ResponderExcluir
  42. Falou falou, não chegou a lugar algum. A internet é o que você quer ver. Pra vocês, a internet é memes brasileiros e copiados do querido 4chan, sendo spammados em blogs de humor(?) de qualquer jeito. Pra alguem fazendo doutorado, são periódicos, estudos. Conhecimento infinito. Pra outros, tudo é for teh lulz. Protesto. Passeata estilo V? Eu fechei o Mastercard por horas.
    We are legion.

    ResponderExcluir
  43. E não é que mesmo simulacros nós conseguimos transportar nossa futilidade real para o mundo virtual? Foda né.

    ResponderExcluir
  44. Muito bom texto.
    Eu também penso assim: o problema da Internet são as pessoas que a usam. Até criei uma frase de impacto:
    "Deus, através dos matemáticos, criou o computador. Diabo, através dos militares, criou a internet"

    ResponderExcluir
  45. não vejo esse problema de conteúdo. O cara vai atrás do que quer ver na internet. Para alguns basta sexualização, outros buscam calculos...outros notícias.

    ResponderExcluir
  46. Bruno Lemos, Eu sou um que Vivê .-.

    ResponderExcluir
  47. Os verdadeiros culpados são os leitores pois são eles que estão com o "controle remoto" (trocadilho infame), ou melhor, o teclado na mão. Se há uma disseminação de sites humoristicos, pornografia e afins é porque a internet se tranformou em um puxadinho para o escapismo da vida real.

    Cada povo tem a internet que merece!

    ResponderExcluir
  48. Ótimo post! Eu adoraria que existissem pelo menos mais uns 10 blogs como esse, que trata de vários assuntos com uma visão crítica sem ser enfadonho.
    Falando nisso, alguma sugestão?

    ResponderExcluir
  49. é um texto que retrata bem a atualidade e que faz refletir...
    alguns né.. porque outros concordam, elogiam mas nem sequer leram.. essa geração.

    ResponderExcluir
  50. eu até um certo ponto concordo com vc.
    acredito sim que a internet está sendo banalizada e está ficando cheia de informações erradas.
    Mas acredito que ela veio para nós salvar, mesmo com informações banais ela acrescenta algo em nossas vidas mesmo com a decadência da língua portuguesa nela.
    Faz com que algumas pessoais confrontem seus paradigmas.claro alguém com um pouco de conhecimento

    ResponderExcluir